terça-feira, 6 de outubro de 2009

Castelos de cartas

Pátio das CantigasHoje e mais três dias de campanha, dia de reflexão pelo meio e vamos a votos.

Em Lisboa estão em causa visões diferentes da forma como queremos viver, coisas muito mais importantes do que os habituais folclores do tipo aeroporto in, aeroporto out, aeroporto half inhalf out, ou aeroporto my ass.

O aeroporto de Lisboa, ex-Ota, actual pasto de camelos no meio do deserto é uma competência do poder central, faz parte da estratégia nacional e a sua reentrada nesta fase da campanha é só mais um fait-divers de quem só tem para apresentar um amontoado de papeis amachucados que simulam maquetas milionárias de Gehry, irrealidades do tipo aeródromo de segunda para táxis aéreos ou a demagogia habitual maledicente de quem quer fazer acreditar que tudo isto é só mais uma negociata de especulação imobiliária.

Daqui a cinco dias vamos ter de escolher entre uma cidade onde se respire ou outra onde se asfixie. Vamos ter de optar entre viver com o castelo de São Jorge ou com o palácio da Gata Borralheira onde as carruagens brilhantes puxadas por corcéis poderosos perderão a magia às doze badaladas para se transformarem em mais uma abóbora laranja.
LNT
[048/2009]

4 comentários:

Luis Serpa disse...

E vamos, caro Luís Novaes Tito, ter que escolher entre uma cidade com um terminal de contentores deep water em pleno centro. Ou não.

Luis Novaes Tito disse...

Pois, caro Luís Serpa, poderemos ou não vir, mas isso, tal como aeroporto não depende só da CML, como sabe.

Luis Serpa disse...

Tem razão: não depende só. Mas aposto que uma coisa é fazer essa obra (refiro-me apenas à ampliação do Terminal, quanto a mim a pior ameaça que paira sobre Lisboa actualmente) com a conivência da CML e outra sem, não é?

Anónimo disse...

I аm in fact gгateful to the owner οf
thiѕ ѕіte who hаs shагed thiѕ
wonderful post at аt this time.

Alsο νisit my blοg post ... Property for Sale